AMOR PARA SEMPRE

Seu caminhar, seus gostos, escolhas e todo o seu carinho ficaram parados no tempo. Não posso mudar o que passou, mas ao olhar para você, algo me diz que nunca terá fim essa ligação estranha.

O amor não advém de nós, ele é algo que pode ser chamado de um fenômeno além do entendimento racional de qualquer indivíduo. O coração encontra seu destino em algum lugar, mas quando ele se perde no meio do caminho, nada pode trazê-lo de volta para o sentido correto do seu rumo, senão o seu fim.






Não dá para ter forças longe da sua onipresença. Sempre esteve à volta, influenciando as atitudes de um elo perdido no universo, esquecido em um espaço frio e não obstante ao tormento de um elemento a esquecer o seu destino e recomeçar a reescrever sua história.

Essa ausência perturbadora trouxe uma presença muito mais forte que o abalou impiedosamente quando, finalmente, um novo destino ele avistava. Como em uma grande floresta com árvores frondosas e bem altas, muitas trilhas o confundiu e iludiu sua percepção sobre a verdade.


 

Por muitos longos anos, ele permaneceu parado e perdido naquele espaço limitado, tentando decifrar os mistérios de dois caminhos iguais e tão diferentes ao mesmo tempo. Mas hoje, ele não mais tenta compreender o seu destino, apenas acordou para a impossibilidade de se tentar alcançar a perfeição de uma vida ilusória, tentando ser uma estrela no meio de tantas outras.

 



Ele, então, se afastou dos sentimentos e foi para longe da rejeição, que o consumia cada vez que tentava se aproximar. Seu coração teimoso, finalmente se entregou a razão, ele não podia mais tentar, já estava fraco. A razão lhe salvou e o levou para um lugar seguro.







Agora, longe e tentando uma nova inspiração para sua vida, mudou-se para o alto de uma montanha, e lá ele deixou suas frustrações para trás. Mesmo muito distante do paraíso trilhado pelos caminhos de pedra, ele ainda inspira seus anseios à beira do mar, absorvendo forças do calor do sol e refletindo seu olhar no brilho lua.

Um comentário:

  1. Ola, Rafael.
    Obrigada pelo comentário.
    Estarei seguindo você.
    Abraços

    ResponderExcluir